Home / Policial / Homem executado em Pedro Canário na noite desta terça-feira era empresário do ramo de importação e exportação de café em Itamaraju-BA

Homem executado em Pedro Canário na noite desta terça-feira era empresário do ramo de importação e exportação de café em Itamaraju-BA

 

 

O empresário do ramo de importação e exportação de café, Nilo Pedro Spagnol, foi executado na noite desta terça feira (05), dentro de uma loja de conveniência em um Posto de combustíveis no Km 12 da BR-101 em Pedro Canário/ES.

Nilo era gerente da antiga empresa Licafé, hoje Blend Coffee, localizada as margens da BR 101, Posto Corujão em Itamaraju. Segundo relatos de caminhoneiros que estavam no local na hora do crime, dois homens em uma moto se aproximaram, chamaram Nilo pelo nome e o carona atirou várias vezes em direção a vítima que morreu no local.

As investigações da autoria e motivação a morte de Nilo Spagnol serão feitas pela polícia do Espírito Santo.

 

Operação Broca

 

Em 2010 Nilo se envolveu em uma ação da Polícia Federal denominada  “Operação Broca” que investigou a sonegação de 400 milhões num suposto esquema de vantagens tributárias ilícitas.

 Os 71 empresários, diretores e funcionários de empresas e corretoras de café envolvidos na A Operação Broca, deflagrada no dia 1º de junho de 2010 teve como alvo 71 empresários do ramo de exportação e importação de café do Espírito Santo. Eles foran  sendo processados por crimes como formação de quadrilha, estelionato qualificado e falsidade ideológica. A denúncia partiu do Ministério Público Federal (MPF) e foi acatada pela Justiça Federal no dia 28 de julho.

A Operação Broca, realizada em conjunto por Receita Federal, Ministério Público e Polícia Federal, desbaratou um suposto esquema de obtenção de vantagens tributárias ilícitas por parte de empresas de exportação e torrefação de café. A fraude, identificada pela Receita Federal, resultou num prejuízo aos cofres públicos superior a R$ 400 milhões.

Crimes: formação de quadrilha e estelionato qualificado em continuidade delitiva.
DARLI MORO
JÚLIO CÉSAR MORO
FRANK MORA BOELONE
NILO PEDRO SPAGNOL
Crimes: formação de quadrilha e estelionato qualificado em continuidade delitiva e em falsidade ideológica por duas vezes, em concurso material, em razão das alterações contratuais simuladas da Licafé.

 

 

 

 

 

 

 

 

Da Redação

Fonte/bahiaextremosul

Veja Também

Uma Capixaba e mais dois outros Brasileiros são presos pelo FBI acusados de clonagem de cartões de crédito

Três brasileiros foram presos no último dia 8 acusados de clonagem de cartão de crédito, ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *